Login
Esqueci minha senha

Hoje, para uma boa gestão de frota é imprescindível a utilização de tecnologias de rastreamento e telemetria. São soluções que permitem o acompanhamento do veículo e das ações do motorista em todo o seu trajeto, com as principais finalidades de evitar o roubo do veículo e da carga e de garantir a entrega do produto de maneira adequada.

O mercado de rastreamento é bastante conhecido e disputado, principalmente, por causa do apelo de insegurança de nossas estradas. As empresas seguradoras já perceberam que, mesmo que se resolva a questão da segurança patrimonial, é de real importância que se resolva também a segurança de dirigibilidade, para que se evitem acidentes e mortes nas estradas. As estatísticas apontam prejuízos em torno de R$ 1,7 bilhão com roubo e em torno de R$ 21 bilhões com acidentes a cada ano, incluindo socorro, hospitalizações, afastamentos e mortes.

As empresas de rastreamento e monitoramento de frotas devem oferecer, cada vez mais, serviços especializados, uma vez que a legislação atual prevê veículos saindo de fábrica já equipados com mecanismos antifurto. Isso se deve à resolução 245/253 – Lei complementar nº 121, de 9/2/2006, que exige a instalação de equipamentos de monitoramento nos veículos zero-quilômetro. E a telemetria deve ocupar grande parte desse espaço.

Telemetria veicular é a solução de monitoramento que visa a gestão de dirigibilidade e é feita por meio da medição de performance do veículo, como: velocidade, acionamento de freios, embreagens etc. Telemetria é, portanto, a tecnologia que permite uma medição e o envio de dados por telecomunicação, que aplicada ao veículo mede sua dirigibilidade.

Juntos, os sistemas de rastreamento e telemetria, permitem que o gestor da frota tenha informações que possibilitem localização e bloqueios para se evitar roubos e saber se o veículo está sendo bem dirigido, bem operado.

No segmento veicular, a telemetria educa o motorista para que ele dirija de acordo com as normas de trânsito e da empresa que o contrata. O resultado são mais segurança e economia na condução do veículo e melhor performance nas operações logísticas.

Sistemas de telemetria mais especializados também são utilizados em segmentos nos quais a segurança veicular é mais necessária que a patrimonial, ou seja, existe maior probabilidade de o veículo sofrer acidente do que de ser roubado, como em mineração, canteiros de obra, prospecções etc.

No Brasil, mais de 35 mil pessoas perdem a vida anualmente em acidentes de trânsito, porém esses números podem ser maiores, já que não há estatísticas recentes. Segundo a ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos), entre 2003 e 2006 morreram 34 mil pessoas por ano no trânsito brasileiro, 400 mil tiveram ferimentos e 100 mil ficaram com deficiências temporárias ou permanentes.

Em todo o mundo, o trânsito é responsável por grande número de acidentes e mortes, porém os dados brasileiros são alarmantes e maiores do que os da maioria dos países. Por esses motivos, hoje as empresas de rastreamento estão empenhadas em oferecer também telemetria que complete seus sistemas, permitindo aos clientes os dois tipos de gestão de segurança: patrimonial e de dirigibilidade.

Quando se fala em acidente veicular, deve-se pensar principalmente na exposição do ser humano. Porém não devemos nos esquecer do dano que um acidente com caminhão carregado com produto químico, por exemplo, pode causar ao meio ambiente.

É cada vez maior a exigência por operações mais seguras e ecologicamente corretas, o que aquece cada vez mais o mercado de telemetria veicular e aponta essa tecnologia como sendo de vanguarda.

O que se vislumbra no longo prazo é uma necessidade cada vez maior de os sistemas embarcados serem mais completos e inteligentes, oferecendo possibilidade de gestão total da frota e da performance de seus motoristas/operadores.

Como forma de reforçar a importância dessa tecnologia de gestão, a Gristec (Associação Brasileira das Empresas de Gerenciamento de Riscos e de Tecnologia de Rastreamento e Monitoramento) e o Instituto Totum devem lançar a primeira metodologia de certificação dos sistemas de telemetria até o final do ano. Este selo vai nivelar as ofertas no segmento e será de grande importância na hora da contratação dos serviços.

O fato é que quem não agregar tecnologia que eduque e preserve o ser humano e o meio ambiente em seus processos operacionais não terá espaço e sucesso no mercado de transporte e logística que teremos pela frente.

*Romeu Costa é Diretor de Telemetria Gristec – Associação Brasileira das Empresas de Gerenciamento de Riscos e de Tecnologia de Rastreamento e Monitoramento

Back to Top